Fisioterapia

Fisioterapia e Diabetes

O Diabetes pode trazer inúmeras complicações para a saúde. Entre elas está à neuropatia diabética. Ela ocorre devido a lesões de vasos e nervos, inicialmente os mais finos e posteriormente os mais grossos, por causa da variação da taxa de glicose no sangue. Essas lesões causam perda de sensibilidade e de força muscular em longo prazo, principalmente nos pés e tornozelos. Muitas vezes, os sintomas são sensação de queimação, formigamento, agulhadas, e outros tipos de dor, que pioram à noite e com o repouso. 

Com o tempo fica mais difícil caminhar, subir e descer escadas, passar por obstáculos e superfícies instáveis, fazendo com que o paciente se torne cada vez menos ativo, e o que antes era fácil de fazer, como ir à padaria ou à farmácia à pé, torna-se uma tarefa difícil.

É aí que a fisioterapia pode ajudar muito a melhorar a qualidade de vida. Com exercícios específicos de fortalecimento e alongamento muscular, treino de equilíbrio e orientações, essas dificuldades do dia a dia podem diminuir e até desaparecer. A capacidade de ficar em pé, caminhar com mais velocidade e por mais tempo, andar de ônibus ou outras tarefas como essas são devolvidas ao paciente, e com isso vem também mais independência.

Além disso, a fisioterapia trata de outros distúrbios que podem ou não estar relacionados com o Diabetes, como dores na coluna, tendinites, bursites, artroses, reabilitação de AVE – Acidente Vascular Encefálico, “derrame” – problemas posturais através do RPG – Reeducação Postural Flobal- doenças respiratórias (bronquite, asma, enfisema pulmonar, etc). A fisioterapia também atua em problemas de retenção de líquidos através da drenagem linfática, técnica de massagem manual que auxilia o organismo a eliminar esses líquidos acumulados por insuficiência do sistema linfático.

Outra técnica que pode ser aplicada pelo fisioterapeuta é o Pilates, que é um conjunto de exercícios físicos de fortalecimento, alongamento, e coordenação que podem ser feitos tanto para o tratamento de problemas posturais quanto para dores musculares ou na coluna.

Mesmo que você não sinta esses sintomas, ou não tenha tantas dificuldades nas tarefas do dia a dia, vale a pena passar por uma avaliação e orientação dos exercícios mais indicados para o seu caso, pois a prevenção é a melhor amiga de uma vida saudável